12 fevereiro 2015

Dead Man


 Hoje vou contar um pouquinho sobre o filme de onde eu descobri e extraí o poema “Auguries of Innocence”.
“Dead man” de Jim Jarmusch, é um western diferente daquilo a que estamos habituados, filmado a preto e branco, com  banda sonora de Neil Young que confere um toque especial  e um ar de estranheza ao filme. É um filme extremamente calmo, tão calmo que chega a aborrecer pela ansiedade de um desenrolar mais entusiasmante da história. Por estas razões, é também, um filme bastante desvalorizado e esquecido.
A história gira em torno do percurso emocional, físico e espiritual de William blake, um jovem contabilista. Numa esperançosa busca por emprego, Blake acaba por se aventurar numa viagem para Machine, uma cidade pobre e doentia. Quando chega ao seu destino, um mês depois do estipulado, toma conhecimento de que o seu suposto cargo já não estava disponível, sendo maltratado pelo dono daquela fábrica e posto na rua de forma indecente. Enquanto vagueava pela cidade, encontra uma mulher e um conjunto de situações inusitadas e abruptas sucedem tal encontro. A partir daí, existe uma evolução do personagem, conhece Nobody e juntos começam uma grande e inesperada jornada que se irá basear na luta pela sua sobrevivência.
 Apesar de todos os transtornos acima referidos, tem uma excelente história. Gostei. Além disso, Johnny Depp é o protagonista, acho que não poderia calhar alguém melhor para o papel.
 Para quem está habituado e apenas goste de comédias e acção não recomendo. Para quem gosta de filmes misteriosos, "come cacos" e com uma distinta mas boa história, então não deixem de o ver.

4 comentários:

  1. Nunca tinha ouvido falar :)

    R: é mesmo ridícula essa história de Sem Mensalidade é que no final acabas por ter sempre mensalidade obrigatória -.-

    ResponderEliminar
  2. Olha eu respondi mas como a net foi abaixo não sei se o comentário ficou guardado :x

    ResponderEliminar
  3. Vou ver o trailer disso, fiquei curioso :)

    ResponderEliminar